NOTÍCIAS

Ao L!, Matheus Ferraz se declara ao Flu e admite: 'Meu ápice foi aqui'

Desde que chegou ao Fluminense, em janeiro de 2019, Matheus Ferraz convive com altos e baixos. No início, o zagueiro superou a desconfiança da torcida e rapidamente se firmou na equipe, mostrando segurança na defesa, além de uma boa saída de bola. Consolidado como titular absoluto nos primeiros seis meses, o jogador sofreu uma grave lesão no joelho direito que o tirou dos gramados por sete meses, justamente quando vivia a melhor fase da carreira, nas palavras do próprio atleta, que concedeu entrevista exclusiva ao LANCE!.
 

- No ano passado pude viver um momento muito importante na minha carreira e no Fluminense. Consegui chegar em um alto nível de atuação. Então com certeza o meu ápice foi aqui. Tenho muito a mostrar e a alcançar, dessa forma, trabalhando duro, com os pés no chão e com fé em Deus para que eu possa evoluir ainda mais. Não tenho dúvida que o meu futebol cresceu pelo trabalho do Diniz e eu tenho certeza que vai crescer muito também com o Odair, que vem fazendo um grande trabalho. 

Recuperado, iniciou a temporada como titular, mas acabou perdendoo a condição para Digão, muito por não estar no auge da forma física, devido ao longo tempo de inatividade. A torcida ficou na bronca, justamente por entender que Matheus Ferraz deve ser o companheiro de zaga de Nino. O zagueiro agradece o carinho dos tricolores, mas sabe que a moral um dia pode acabar.
- Eu fico feliz de ter esse reconhecimento da torcida, tudo por conta do que eu plantei dentro do clube. Ano passado eu fiz bons jogos e tive uma regularidade boa. Infelizmente teve a lesão e por conta disso tenho esse carinho da torcida. Tenho consciência que ano passado foi uma coisa e esse ano é outra. Tenho que me preparar ainda mais e buscar uma melhora. 

Com a lesão de Digão, Matheus Ferraz voltou ao time nas últimas partidas, porém a paralisação por conta da pandemia de coronavírus, deixa a vaga em aberto novamente. O zagueiro tem o apoio do torcedor a seu favor, enquanto o capitão e cria de Xerém convive com algumas críticas. Essa situação não é bem aceita por Ferraz, mas entende que não há o que fazer.

- Pelo Digão a gente fica chateado, fica triste muitas vezes por conta da pessoa, do profissional que ele é, batalhando para fazer o melhor pelo clube. Mas são as escolhas que o torcedor tem, foge de mim. Entendo que o Digão estava fazendo um bom começo de ano e isso só faz a equipe ganhar e faz o Odair ter mais opções para definir o melhor para ele e para o time. Agradeço ao torcedor pelo carinho e digo que essa concorrência é muito benéfica para que o Fluminense possa evoluir.

Com 35 anos, Matheus Ferraz é o segundo jogador mais experiente do elenco, perdendo apenas para Nenê, que é três anos mais velho. O vínculo com o Fluminense se encerra no fim do ano, porém, no que depender do zagueiro, a passagem pelo Tricolor está longe de terminar. 

- O contrato acaba dia 31 de dezembro e espero desenvolver um bom trabalho nesta volta para renovar e ficar o máximo possível no Fluminense, time que me sinto bem e me identifiquei muito. Vou fazer de tudo para ficar aqui por muito tempo ainda.

 

Outras Notícias